2011

A gente se acostuma. Acostumamo-nos a deixar as coisas pra lá. Acostumamo-nos a ficar parados, a não agir, a não crer. Não cremos na mudança. Não acreditamos que podemos mudar a vida, mudar a realidade, criar melhorias. Nós não mudamos… ou mudamos? Olhando para trás, cerca de anos ou décadas, vemos que sim… mudamos. Mudamos pequenos hábitos, pequenas crenças, pequenos modos. Goles de mudança, somente. Somos por dentro aquilo de sempre; a mesmice, o costume. Deixamos os planos de lado quando “oportunidades irrecusáveis” aparecem. O que seria mais irrecusável do que seus sonhos? Mas eles vão se esvaindo… vão ocupando espaços menores, um tempo menor. Até que são esquecidos. E a vida vai indo naquele ritmo igual, sem mudanças. Ah, mudanças. Como creio nas mudanças! Creio que o aconchego nem sempre é o melhor; o que é melhor são os sonhos tornados realidade. Não percamos o foco; somos todos movidos pela imaginação querida, não desviemos nosso caminho daquilo que nos é realmente relevante. Hoje, com mais um ano se acabando, o que eu desejo a todos vocês com muito carinho é o seguinte: que não se acostumem. Continuem em frente, seguindo seus sonhos. Só assim verão seus anos valerem a pena!

Feliz 2011 e viva às mudanças!

Anúncios

Blog Aniversariando!

Olá pessoal, hoje faz um ano desde a minha primeira postagem nesse blog!
(Na verdade esse blog existe desde 2006, mas fiz uma reestruturação ano passado e apaguei todas as coisinhas que eu colocava aqui quando era criança kkk)
Gostaria de agradecer aos que continuam visitando meu pequeno blog, interessados nas ideias que aqui coloco! Obrigada, pessoal!
Mil beijos de chocolate!

Paul in POA

EU FUI!
Momento mágico, incrível! Inacreditável!
Exatamente há uma semana, dia 07 de novembro de 2010, na minha cidade amada, Porto Alegre, vivi um dos momentos mais lindos, que só pode ser explicado pelo sentimento dos que lá estavam presentes: presenciar os lindos acordes de uma linda história, contada por nada mais nada menos do que Paul McCartney.
52 mil pessoas unidas por um amor. Gremistas e colorados unidos, em um estádio, sem brigas, mas com emoção. Naquele dia todas desavenças foram postas de lado: só uma coisa importava. Um dia longo, de sol forte (até 20h), de filas intermináveis (para muitos), mas que valia toda pena. Não parecia ser esforço algum. Eu, pelo menos, nem senti as horas que passei dentro do estádio do meu rival colorado esperando pelo maior astro vivo. Tudo era encantamento, tudo lindo.
Chegam as 21 horas. Ninguém sabia ao certo o que aconteceria. Ele se atrasaria? Não, ele é britânico, britânicos não se atrasam. E pensamos certo: em cinco minutos, aquela pessoa quase inacreditavelmente carinhosa estava lá, na frente de todos, que mal conseguiam acreditar no que viam. Eu, pelo menos, demorei muito tempo para perceber o que acontecia na frente dos meus olhos. O fascínio era imenso.
Uma pessoa tão importante, tão simples. E ainda preocupada em agradar os fãs. Passou todo show interagindo conosco, perguntando como estávamos, dando boa noite, e além de tudo adequou seu português quase impecável à linguagem gaúcha com expressões como “mas bah tchê” (que levou todos ao delírio), “tri legal”, além de cantar junto da multidão o famoso “ah, eu sou gaúcho”. Alguém assim, agindo com tanto cuidado e amor, conseguiu conquistar a todos nos primeiros minutos do show.
Homenageou seus colegas de banda já falecidos, John e George, com lindas músicas que transpiravam amor: Here Today e Something. Foram alguns dos momentos mais intensos do show, juntamente com a música que ele dedica a sua amada falecida esposa, Linda: My love. Viam-se lágrimas por todo lado, todos demonstrando o respeito e o carinho por aqueles que foram tão importantes não só na vida do Paul, mas de todos seus fãs.
Macca conseguiu, também, agitar seus fãs, com aquelas músicas mais conhecidas dos Beatles, que pareciam nos transportar para aquela época em que todos tocavam juntos, nos anos 60 (em que eu nem era um projeto de nascer).
É incrível acreditar que eu estava lá. Ainda não acredito. Falarei desses momentos para meus filhos, sem saber se foram um sonho ou realidade. Foi simplesmente… mágico.
“Do you wanna get back?”
I wanna get back.
Obrigada, Paul.

20 de setembro!

Oi gente! Hoje é um dia muito especial, sabiam? Pelo menos para mim. Muita gente não se importa pois não é feriado nacional (porém é estadual); mas mesmo estando fora do meu RS e não aproveitando dessa “vantagem” deste dia tão especial, continuo a adorá-lo com muito orgulho. Hoje, dia 20 de setembro, foi marcado como o início da Revolução Farroupilha. Valorizamos toda a luta por nossos ancestrais na nossa terra de origem. Dedico este post ao meu povo e a todos que sentem orgulho desse pago lindo que é o Rio Grande do Sul.

Lee DeWyze

Vídeo em homenagem ao ganhador da nona temporada de American Idol, feito pelos fãs (apareço nos 3:38 do vídeo :D), a partir da música da final da temporada cantada por Lee DeWyze, “Beautiful day” do U2.

Lyrics

The heart is a bloom
Shoots up through the stony ground
There’s no room
No space to rent in this town

You’re out of luck
And the reason that you had to care
The traffic is stuck
And you’re not moving anywhere

You thought you’d found a friend
To take you out of this place
Someone you could lend a hand
In return for grace

It’s a beautiful day
Sky falls, you feel like
It’s a beautiful day
Don’t let it get away

You’re on the road
But you’ve got no destination
You’re in the mud
In the maze of her imagination

You love this town
Even if that doesn’t ring true
You’ve been all over
And it’s been all over you

It’s a beautiful day
Don’t let it get away
It’s a beautiful day

Touch me
Take me to that other place
Teach me
I know I’m not a hopeless case

See the world in green and blue
See China right in front of you
See the canyons broken by cloud
See the tuna fleets clearing the sea out
See the Bedouin fires at night
See the oil fields at first light
And see the bird with a leaf in her mouth
After the flood all the colors came out

It was a beautiful day
Don’t let it get away
Beautiful day

Touch me
Take me to that other place
Reach me
I know I’m not a hopeless case

What you don’t have you don’t need it now
What you don’t know you can feel it somehow
What you don’t have you don’t need it now
Don’t need it now
Was a beautiful day

Dia da poesia.

(Luiz Vaz de Camões)

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?

A um ausente

É pessoal… aí vem um post triste-feliz; triste pois quem vos escreve acaba de perder um amigo para a distância, feliz pois lá está seu verdadeiro destino (e porque ele acabou de passar na USP, meu!)! Mas é claro, para mim, esse é um post totalmente de saudade. Saudade dos pequenos momentos, das simples conversas de assuntos quaisquer, de apoio nas horas de problemas, até das vezes que eu estava estressada e acabava brigando com ele, hehe.


O título é bem sugestivo, “A um ausente”, título de uma obra de Carlos Drummond, que mais abaixo pode ser citada. Esse meu ausente não era qualquer um, era o amigo… uma das pessoas mais especiais que aqui encontrei… nada menos do que dedicar esse texto a ele (já que é uma das únicas pessoas que lê meus posts hehe): Ricardo.

Nos conhecemos em 2006!.. e tão diferentes éramos, não só fisicamente, mas com idéias diferentes, amizades diferentes. Naquela época, eu jamais imaginaria o que ele significaria para mim. Éramos ainda crianças, ele ainda tinha aquela carinha gordinha e falava “vagabundex”. Eu também não era muito melhor do que ele, e talvez por isso nossa amizade não foi a primeira vista. Mas aconteceu, e sempre agradeço por ter um grande amigo como ele na minha vida!

Sim, Ricardo, eu coloquei sua foto que você tanto odeia aqui (se você ainda não viu, está aqui embaixo), e não estou nem aí, hehe. Espero que não se importe, até porque você deve estar em uma felicidade tremenda ao saber que passou no lugar que sempre sonhou, né? Tão feliz que nem deve estar dando muita bola pro meu post. Mas não tem problema. Posso tê-lo feito no dia certo, ou no dia errado, só sei que hoje ao poder sorrir e ter orgulho do grande amigo que tenho, decidi fazê-lo (o post).

Não sou de prestar homenagens, mas você sabe que merece! E que terá sempre um espaço reservado no coração dessa pessoa que tem muito orgulho de tê-lo na vida! Espero que não me esqueça e que continue sempre do jeito que és, pois foi assim que conquistou a todos em Natal, assim que conquistou o seu sonho e assim que continuará conquistando tudo que quiser!

Mil beijos,
da sua grande amiga, Alana.

“Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.
Sim, tenho saudades.”